Joana Fomm nasceu no Rio de Janeiro e começou sua carreira nos anos 1960, com a peça “Um Estranho Bate à Porta”. Joana participou do Teatro de Arena, em São Paulo, e fez, ao longo de sua carreira, peças como “Por um Novo Incêndio Romântico”, “As Pequenas Raposas” e “A Kind of Alaska”.

No cinema, sua trajetória reúne títulos como “Um Morto ao Telefone”, “A Noite do Meu Bem” e “Macunaíma”. Joana foi premiada com o troféu Candango como melhor atriz no Festival de Brasília do CInema Brasileiro por “Césio 137 – O Pesadelo de Goiânia” e está no elenco de longas como “Quem Matou Pixote?”, “Copacabana” e “Quanto Vale ou É por Quilo?”.

Na TV, começou como garota-propaganda e, na dramaturgia, estreou em “O Desconhecido”. Ganhou destaque em novelas como “Dancin´Days” (prêmio APCA de melhor atriz de TV) e “Tieta”. Entre as 30 novelas de sua carreira, constam “A Viagem”, “As Pupilas do Senhor Reitor”, “Vamp”, “Fera Ferida”, além de participações em produções como “O Clone”, “Kubanacan” e na série “Magnífica 70”, da HBO Brasil.

Seu trabalho mais recente em televisão foi na série “Malhação”, na Rede Globo (em 2017), e, em breve, estará novamente nas telinhas na nova superprodução da Rede Record, a novela “Apocalipse”.